Segundo a 13ª edição do Guia Salarial da Robert Halt, empresa de consultoria de RH, as carreiras do futuro são detetive de dados, engenheiros de inteligência articifical e especialistas em transformação digital

O desemprego segue registrando recordes e a última pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) revelou que no trimestre de junho a agosto a taxa bateu mais de um recorde de 14,4%, atingindo 13,8 milhões de trabalhadores e trabalhadoras.

A área de tecnologia, no entanto, está aquecida e deve ganhar mais força em 2021. Apesar dos salários não acompanharem esse crescimento, o setor deve bombar no ano que vem.

É isso que mostra a 13ª edição do Guia Salarial da Robert Half, empresa especializada em consultoria de Recursos Humanos. De acordo com a pesquisa, as carreiras do futuro são detetives de dados, engenheiros de inteligência artificial e especialistas em transformação digital.

A pesquisa também mostra que nas indústrias de saúde, agronegócio, logística as vagas permanecerão em alta. O mesmo acontecerá em áreas como finanças e contabilidade, engenharia, jurídico, vendas e marketing, mercado financeiro, recursos humanos e seguros.

Apesar da importância da pesquisa como termômetro para o mercado de trabalho, outros fatores conjunturais devem ser levados em consideração na análise sobre geração de empregos em 2021, pondera o economista do  Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), Cesar Andaku.

“Ainda não sabemos com certeza quais serão os setores que se recuperarão mais rapidamente da crise, portanto é necessário ter cautela ao afirmar que em um breve período certas profissões serão aquelas em que mais pessoas serão contratadas”.

Feita a ressalva, vamos aos dados da pesquisa que aponta uma tendência que já vinha sendo observada antes da pandemia de destaque a abertura de vagas no setor de tecnologia da informação (TI).

“Essa valorização do profissional impacta diretamente no aumento das contratações em diversas áreas da tecnologia e aumenta a disputa pelos melhores talentos, o que exige boas estratégias para evitar a perda de profissionais para a concorrência”, diz a apresentação do 13ª edição do Guia Salarial da Robert Half.

O guia classifica as profissões que terão destaque em 2021, mas sem distinção de faixa etária. As atividades estão divididas por setores. Confira:  

• TECNOLOGIA, com salários R$ 9,2 mil a R$ 21 mil para cargos de coordenação

• ENGENHARIA, com salários e de R$ 3,5 mil a R$ 43 mil, caso de um gerente de projetos.

• FINANÇAS E CONTABILIDADE, com salários de R$ 3 mil a R$ 24 mil nos cargos mais altos.

• JURÍDICO, com salários R$ 10 mil a R$ 32,8 mil para generalistas de empresa

• VENDAS E MARKETING, com salários de R$ 2.2 mil a 30.2 mil, casos de gerentes de e-commerce.

• MERCADO FINANCEIRO, com salários de 8,1 mil até 54,7 mil para cargos de direção financeira.

• RECURSOS HUMANOS, com faixa salarial entre R$ 10mil a 49 mil (para chefes de RH)

• SEGUROS, com salários de R$ 6,8 mil até 25,8 mil para gerentes

Para acessar a íntegra da pesquisa, clique aqui

Profissões que ainda não existem
O preparo para o futuro no mercado de trabalho ainda reserva surpresas. Uma recente pesquisa feita pela Dell Technologies, para o Institute For The Future (Instituto para o futuro) mostrou que 85% das atividades profissionais que estarão disponíveis no mercado de trabalho em 2030 ainda não estão existem.

A pesquisa aponta o avanço da tecnologia transformará ainda mais o mercado de trabalho extinguindo várias profissões e criando outras.


Escrito por: Andre Accarini

*Edição: Marize Muniz