O desmonte imposto pelo governo Bolsonaro, obriga os servidores(as) que trabalham no INSS a enfrentar uma jornada de 12 a 15 horas por dia. A categoria está doente.
Só investimento em mão de obra (concurso público), estrutura e tecnologia podem melhorar o atendimento e acabar com as filas nas agências do INSS. Em vez disso, o que faz o governo?  Anuncia que vai convocar e pagar militares despreparados para atender a população. Só vai piorar!
Para se contrapor ao sucateamento do INSS e pela realização de concurso público para o órgão, os trabalhadores estarão realizando um Ato público no final da manhã desta sexta-feira (14/2) em frente à Gerência Executiva do INSS, na Avenida Mário Melo (Santo Amaro).
Neste dia, a CUT, demais centrais sindicais e movimentos sociais estarão unidas na mobilização nacional contra o caos no INSS em todo o Brasil. Serão realizadas
panfletagens e diálogo com a população para denunciar os ataques constantes do atual
governo federal aos servidores e serviços públicos e empresas estatais.