Com objetivo de conscientizar a população sobre as consequências negativas da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) nº 006/2019 na vida dos trabalhadores e das trabalhadoras e coletar assinaturas para o abaixo-assinado contra a reforma da Previdência de Jair Bolsonaro (PSL), a CUT-Pernambuco e a Escola Sindical Nordeste colocaram um ônibus da Central nas ruas do Estado.  A ação foi lançada no último dia 4 de abril, na Praça da Independência, em frente à igreja de Santo Antônio, no Centro do Recife. A Secretária da Mulher da CUT-PE e Secretária de Saúde de Saúde do Trabalhador do SINDPD-PE, Liana Araújo, participou da atividade. Nas primeiras horas, mais de 400 pessoas pessoas já haviam assinado o abaixo-assinado, que a CUT e demais centrais sindicais vão entregar para o Congresso Nacional em maio. Até o final de abril, o ônibus da Escola Nordeste da CUT irá circular por diversos nos bairros do Recife, onde serão apresentados vídeos sobre a reforma da previdência e será feita a distribuição de panfletos a sociedade. 

Outra ação bastante importante que o ônibus tem levado à população é o acesso no local ao Aposentômetro, calculadora da aposentadoria, desenvolvida pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIEESE). Através do cálculo feito com o Aposentômetro, o/a trabalhador/a fica sabendo na hora os danos que a proposta de reforma da previdência de Bolsonaro trará à sua vida. 

A ação da CUT-PE tem repercutido entre a população e os movimentos sociais locais. Quando o ônibus chega às praças, igrejas, ruas dos bairros para dialogar diretamente com a população, muitos se aproximam para pedir informações. “Nós fizemos a avaliação de que é urgente o contato com a população para esclarecer o que é esse projeto, que dificulta a aposentadoria e reduz o valor do benefício”, afirmou o presidente da CUT Pernambuco, Paulo Rocha. 

As regiões mais próximas da capital e também as mais carentes, como Morro da Conceição, Largo da Paz, Parque Urbano da Macaxeira e a Padre Lemos são os locais que já estão na programação do ônibus da CUT para esta semana. “A gente tem percebido que as pessoas não conhecem a reforma de Bolsonaro e compraram o discurso de que é para acabar com privilégios. Quando a gente mostra os materiais e conversa sobre os verdadeiros objetivos desta reforma as pessoas assinam o abaixo-assinado na hora”, contou Fabiano Moura, Secretário de Comunicação da CUT-PE.

Se PEC 06/2019) for aprovada pelos parlamentares no Congresso Nacional, os trabalhadores terão de trabalhar muito mais para ganhar bem menos de aposentadoria. Além disso, os trabalhadores podem perder direitos trabalhistas, como o acesso ao abono salarial e o direito de receber 40% da multa do FGTS quando se aposentam e continuam trabalhando na mesma empresa.Os benefícios pagos pelo INSS, como pensão por morte, aposentadoria por invalidez e Benefício de Prestação Continuada (BPC), também podem sofrer reduções drásticas nos valores, o que afetará a vida dos segurados que dependem desses benefícios para sobreviver.