O registro do Serpro na 3ª ata de reunião com a FENADADOS sobre a PLR/2021 e seus comunicados internos mostram um posicionamento incoerente, discriminatório e intransigente da direção da empresa.

A incoerência fica clara ao querer dar um tom meritocrático e justo para sua proposta afirmando que: “não é mais possível privilegiar um grupo de empregados que não participam da construção do resultado empresarial…,ou que participam de forma menos direta do alcance dos resultados...” 

Na verdade, os reais privilegiados são os próprios diretores que recebem suas gordas Remunerações Variáveis – RVAs, a título de distribuição de lucro, enquanto tentam distribuir migalhas para o corpo funcional. 

Ao apresentar uma proposta com valores muito mais altos para quem tem cargo de confiança, enquanto exclui os PSEs do grosso da partilha e tenta fazer uma distribuição bastante diferenciada por cargo e diretoria, a direção do SERPRO não faz um ato de justiça, ao contrário, comete discriminação contra grande parte dos funcionários.

Outro ponto inaceitável na proposta da empresa, é a distribuição de 80% do valor de forma proporcional e apenas 20% linear, quando tivemos 30% proporcional e 70% linear no ano anterior.

Em síntese, o Serpro parece ter confundido negociação com imposição, pois, após propor algo tão ruim para o conjunto dos/as trabalhadores/as, ainda faz ameaças, encerrando de forma unilateral as negociações e exigindo pressa.

Assembleia 

Em função da resposta a essa postura autoritária da empresa, convocamos todos/as os/as trabalhadores/as para discutirem o assunto em Assembleia que acontecerá nesta quinta-feira (18/11), às 14h, através do serviço de comunicação por vídeo ZOOM (cujo link de acesso será disponibilizado pelo SINDPD-PE até duas horas antes da Assembleia).