Aconteceu nessa terça-feira (12/12) pela manhã, a primeira audiência da Ação de Reconhecimento de base na 18ª vara da Justiça do Trabalho de Recife, em que o SINDPD-PE pede o reconhecimento legítimo de ser o representante legal dos trabalhadores da Accenture. Acompanharam a Audiência a presidenta do sindicato, Sheyla Lima e a assesoria jurídica.
 
A empresa insiste em que a vinculação de seus empregados seja a outra entidade, que nada tem haver com a atividade fim da categoria. Para a direção do sindicato, com o claro objetivo de fragilizar os trabalhadores e trabalhadoras, reduzindo direitos e os custos com pessoal. 
 
Mesmo sem reconhecer o SINDPD como legítimo representante da categoria, a Accenture é apontada pela mídia como uma empresa de TI. Mas tentando se eximir de suas responsabilidades com seus “colaboradores”, a empresa alega que sua atividade principal é de assessoramento. Isso é uma balela! É de conhecimento de todos que os trabalhadores da Accenture realizam atividades puramente tecnológicas. São analistas de sistemas, programadores, técnicos em informática e tantos outros profissionais ligados ao mercado de TI do estado de PE. Contraditoriamente, a própria empresa reconhece que a sua atividade principal é TI quando publica vídeos, impressos, jornais, blogs e sites.
 
É inadmissível que uma empresa que se diz ter orgulho de estar participando de um dos principais polos tecnológicos do país (Recife), crie subterfúgios para diminuir direitos os seus funcionários. 
 
A próxima audiência está marcada para o dia 21 de agosto de 2018, às 11h. Seguiremos adiante no processo judicial na certeza de a justiça reconhecerá o direito dos trabalhadores da Accenture de serem representados pelo seu verdadeiro sindicato.
 
Confira aqui a Ata da Audiência e o documento de contestação da Accenture.
 
Sindicato forte, você forte. Filie-se!