A reunião da comissão paritária do SERPRO e FENADADOS para elaboração da PPLR 2020, ocorrida no último dia 18 de outubro, deixa claro o caráter excludente e unilateral que a direção da empresa quer dar ao assunto. Assim como fez em 2019, ela manteve sua proposta do Programa de Participação nos Lucros e Resultados, onde novamente  tenta excluir cerca de 1/3 dos trabalhadores. O subterfúgio utilizado são os prazos legais e a burocracia da SEST/ME. Com isso, tenta aprovar de forma açodada a proposta que mais lhe convém, em detrimento dos interesses dos trabalhadores e trabalhadoras da empresa.

Visando elaborar uma proposta justa, que inclua o conjunto da categoria, as representações dos trabalhadores (FENADADOS e sindicatos) cobraram da empresa a apresentação de todas as informações necessárias para a construção da proposta. No entanto, o que foi apresentado na mesa de negociação foi um pacote similar ao do ano anterior, sem sequer mostrar as metas  estabelecidas para a garantia de distribuição dos lucros e resultados.

Apesar da empresa não fornecer as informações completas, ela se comprometeu a dar continuidade às negociações mesmo após análise e aprovação da SEST/ME. Para isso, as lideranças sindicais apresentaram uma contraproposta de forma a não comprometer os prazos legais e dar prosseguimento ao processo negocial, garantindo o direito à habilitação e elegibilidade para todos os trabalhadores. 

Confira aqui a ata da reunião e a contraproposta apresentada pela representação dos trabalhadores.