Ainda não está definida data do retorno ao trabalho presencial na ATI. Porém, esta semana acontecerão duas reuniões que poderão trazer novidades sobre o assunto.
Na quarta-feira, 09 de setembro, às 15h, a Comissão Paritária de acompanhamento do retorno se reunirá com a Presidente da ATI, Ila Carrazzone, para analisar o plano de retomada gradual ao trabalho presencial, elaborado pela direção. Na ocasião, os representantes dos trabalhadores insistirão na continuidade do teletrabalho para quem precisam cuidar de crianças menores de 12 anos ou pessoas dos grupos de risco, que não podem ficar sozinhas.
Na sexta-feira, 11 de setembro, às 10hs, será instalada a Comissão Central de Acompanhamento do retorno, com a presença da Secretária de Administração, Marília Lins. Um dos representantes dos servidores na reunião será o diretor do SINDPD-PE, Messias Melo.


Lei restringe despesas de pessoal no Estado

Na última sexta-feira (4/9), em reunião com o Fórum dos Servidores do Estado, coordenado pela CUT, a Secretária de Administração, Marília Lins, apresentou os principais impactos da Lei Complementar 173. A Lei previu ajuda financeira para Estados e Municípios, compensando a perda de receita em função da COVID 19, mas restringiu as despesas de pessoal, como contrapartida obrigatória, além do que já era proibido pela Lei de Responsabilidade Fiscal. 
Além das limitações que já tínhamos, a principal consequência na ATI é não considerar como tempo aquisitivo para efeito de licença prêmio, o período desde o início da pandemia, até o final do próximo ano.