A FENADADOS e os sindicatos que compõe a Coordenação de Campanha, em mais uma tentativa de negociação da pauta aprovada pelos trabalhadores, e entregue há mais de 70 dias ao SERPRO, solicitou uma nova mesa de negociação buscando resguardar os direitos dos trabalhadores conquistados há mais de 3 (três) décadas.

Reiteramos mais uma vez, ser inadmissível, o SERPRO, além de rejeitar a pauta dos trabalhadores, tentar a todo custo, por mais um ano, retirar direitos, e apresentar propostas divisionistas e sem nenhuma recomposição salarial.
A empresa tem colocado em mesa, a instabilidade em que vive o país para justificar a retirada de direitos e zero de índice econômico, mas desconhece que, mesmo em um cenário de pandemia e com profundas mudanças, o corpo funcional vem fazendo a empresa operar em plenas condições e realizando todas as entregas, como tem informado a direção da empresa nas lives com os trabalhadores.
Nas três reuniões de negociação, a representação dos trabalhadores buscou alternativas que não a pauta de retirada de direitos apresentada pelo SERPRO, mas a resposta é sempre a mesma.
Para buscar a manutenção da negociação com preservação de direitos e na impossibilidade explícita de uma negociação autônoma entre as partes, a representação dos trabalhadores informou aos representantes do SERPRO que buscará mediação no TST, onde o processo negocial do ACT se mantém em aberto, na busca de um Acordo não nocivo ao conjunto dos trabalhadores que mantenha e garanta direitos, assim como o debate da reposição de perdas que se acumulam não só no período, como nos dois últimos anos.

Fonte: Site da FENADADOS