Trabalhadores do SERPRO e DATAPREV de todo o país realizaram atos e manifestações nesta terça-feira, 3/12, em defesa das empresas e contra a política entreguista do governo federal. Desde o mês de agosto, Bolsonaro anunciou a intenção de privatizar o SERPRO e DATAPREV e desde lá a categoria vem realizando uma série de atividades denunciando à sociedade a importância estratégica dessas empresas e seu papel de fomentar políticas públicas na área de TI que favorecem o cidadão.

No início da manhã, trabalhadores e trabalhadoras da DATAPREV ocuparam o sinal da Avenida Domingos Ferreira (Pina) em frente à empresa e distribuíram uma Carta à População, esclarecendo o quanto a atuação dessas empresas é importante e alertando para a possibilidade de que informações pessoais dos brasileiros e brasileiras, presentes em várias plataformas criadas para o governo, sejam entregues ao capital privado. Também pela manhã, trabalhadores e trabalhadoras lotados no prédio da Receita Federal (Bairro do Recife) promoveram um Ato e distribuíram a Carta Aberta ao clientes e pessoas que circularam no local.

O SERPRO completou 55 anos de vida no último dia 1º de dezembro, mas durante solenidade promovida pela empresa na manhã de hoje, a categoria mostrou que apesar da importância e da qualidade dos serviços do SERPRO, o momento não é de comemoração e sim, de protestos.  Durante a solenidade, trabalhadores e trabalhadoras vestiram a camisa contra a privatização e em um protesto silencioso, expuseram sua posição. Logo em seguida, em um Ato em frente à empresa, a direção do SINDPD-PE reuniu a categoria para denunciar a política irresponsável do governo Bolsonaro, que não valoriza o patrimônio público e só tem como projeto, entregar nossas riquezas a qualquer preço. O Ato contou a presença do Secretário de Administração do Sindicato dos Petroleiros de PE/PB, Luiz Antonio Lourenzon, que expôs um pouco da luta dos petroleiros em defesa da Petrobrás.